Voltar

TDAH é genético?

Alguns transtornos de neurodesenvolvimento possuem componentes genéticos, e isso não é diferente no TDAH. A grande questão que fica é se o TDAH é genético ou se há mais causas além dessas.

São altas as chances de que, se uma pessoa com TDAH tiver filhos, eles também tenham TDAH. No entanto, existem mais causas potenciais para o transtorno, além de genético.

Então, apesar dessa forte ligação genética, se alguém tem TDAH, não significa automaticamente que seu filho terá. Isso ocorre porque há uma combinação de genes e fatores ambientais que determinam se uma criança desenvolve o transtorno. Saiba mais sobre isso nesse artigo.

O TDAH

O transtorno do déficit de atenção e hiperatividade é um transtorno de neurodesenvolvimento. Caracterizado por desatenção, procrastinação, hiperatividade e dificuldades para iniciar e terminar tarefas.

O TDAH é geralmente diagnosticado na infância, embora possa não ser diagnosticado até anos posteriores.

Ele também pode variar em gravidade, de relativamente leve, moderado a grave. Os indivíduos podem descobrir que, mesmo com a medicação prescrita, eles têm dificuldades de funcionamento em relação às tarefas diárias, incluindo a escola e o trabalho.

Embora o TDAH possa ser gerenciado muito bem, em muitos casos, o diagnóstico tem ramificações de longo prazo. Muitas famílias se perguntam se o TDAH é genético.

Em outras palavras, o TDAH pode ser herdado ou transmitido de geração em geração? Os cientistas levantaram as mesmas questões sobre se o TDAH é genético e fizeram muitos estudos para entender melhor a condição.

TDAH é genético ou não?

A resposta curta é sim, é possível que uma pessoa possa herdar o TDAH de sua mãe, pai ou ambos.

Pesquisas atuais sugerem que as crianças cujos pais são diagnosticados com TDAH correm um risco maior de desenvolver o transtorno.

No entanto, é provável que mais de um gene esteja envolvido no padrão de herança do TDAH, indicando que ainda existem muitas complexidades em torno dessa condição.

Não há nenhum teste médico para determinar se você ou seus filhos são geneticamente propensos ao TDAH. O diagnóstico é feito por pediatra, psicólogo, psiquiatra ou outro especialista, seguindo os critérios do DSM-5.

Apesar dessa forte ligação genética, se você tem TDAH, isso não significa automaticamente que seu filho também terá.

Isso ocorre porque há uma combinação de genes e fatores ambientais que determinam se uma criança desenvolve TDAH. Eles podem herdar genes de TDAH sem que sejam ativados.

Fatores de risco adicionais para TDAH

Embora as causas genéticas e ambientais exatas do TDAH não sejam totalmente compreendidas, existem vários fatores de risco para o desenvolvimento de TDAH.

Muitos desses fatores estão fora do controle do indivíduo afetado, como exposição a toxinas ou substâncias perigosas no útero.

Outros fatores de risco sugerem que a genética também tem um papel. Alguns fatores de risco ambientais de TDAH incluem:

  1. Ser exposto a chumbo;
  2. Prematuridade;
  3. Ter um baixo peso ao nascer;
  4. Estar exposto ao tabaco no período pré-natal.

Claro que é possível que o TDAH seja hereditário, pois também existem fatores de risco genéticos. Ou seja, crianças com parentes de sangue que têm TDAH, como pais ou irmãos, têm maior probabilidade de desenvolver essa condição.

Mas isso não é somente a genética que pode ser a causa do TDAH.

Se você ainda ficou com alguma dúvida, deixe nos comentários! E para saber mais sobre esse assunto, assista ao vídeo com o Dr. Clay:

Meu filho tem TDAH, será que eu posso ter também?

Referência:

ADDitude. SILVER, Larry. Is ADHD Genetic? Yes and No. 2020. Disponível em <https://www.additudemag.com/is-adhd-hereditary-yes-and-no/> Acesso em 03 mar. 2022.

Você também pode se interessar...

4 respostas em “TDAH é genético?”

Olá Adenilza, tudo bem?

De acordo com o artigo o TDAH é genético, então chances de quem tem o transtorno passar para seus descendentes são altas, porém apesar dessa forte ligação genética, se alguém tem TDAH, não significa automaticamente que seu filho terá, isso ocorre porque há uma combinação de genes e fatores ambientais que determinam se uma criança desenvolve o transtorno. Temos também vídeos no nosso canal sobre o assunto, te convido para conhecer também nossa página no youtube.

Sol,
Equipe NeuroSaber 💙

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *