Voltar

Transtorno do Espectro Autista: Como tratar distúrbios do sono

Durante os primeiros meses de vida, os bebês entram em um ciclo normal de sono e vigília. Gradualmente, o número de cochilos diurnos diminui e passam a dormir por períodos mais longos à noite. 

No entanto, algumas crianças continuam com dificuldade para dormir durante a noite, e o problema pode persistir durante a infância e até a vida adulta.

Os distúrbios do sono são ainda mais comuns em crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA). Os pesquisadores estimam que entre 40% e 80% das crianças com TEA têm dificuldade para dormir. 

Veja, neste artigo, como tratar os distúrbios do sono no TEA.

Distúrbios do sono no TEA

Os principais distúrbios de sono que as crianças com autismo enfrentam são:

  • Dificuldade para dormir.
  • Rotinas de sono inconsistentes.
  • Inquietação ou má qualidade do sono.
  • Acordar cedo e/ou acordar com frequência durante a noite.

A falta de uma boa noite de sono afeta não apenas a criança, mas todos em sua família. Por isso, é importante compreender o que pode estar causando os distúrbios de sono e como é possível tratá-los.

Quais as causas dos distúrbios do sono em crianças com autismo

Os pesquisadores não sabem ao certo porque as crianças com autismo têm mais dificuldades com sono, mas existem várias teorias. 

A primeira delas tem a ver com a dificuldade em compreender as pistas sociais. Por exemplo, sabemos que a noite é hora de dormir graças ao ciclo dia/noite (claro/escuro) e aos ritmos circadianos do corpo. 

No entanto, também usamos as dicas sociais, como a criança que vê seus irmãos mais velhos se preparando para dormir. As crianças com autismo, muitas vezes, têm dificuldade para se comunicar e podem interpretar mal ou não entender essas pistas.

Outra teoria tem a ver com o hormônio melatonina, que ajuda a regular os ciclos de sono-vigília. Para produzir melatonina, o corpo precisa de um aminoácido chamado triptofano, que, segundo pesquisas, pode ser maior ou menor do que o normal em crianças com autismo. 

Normalmente, os níveis de melatonina aumentam em resposta à escuridão (à noite) e diminuem durante o dia. Estudos mostram que algumas crianças com autismo não liberam melatonina nos horários corretos, com níveis elevados durante o dia e níveis mais baixos à noite.

Outra razão pela qual as crianças com autismo podem ter problemas para adormecer ou acordar no meio da noite pode ser a hipersensibilidade a estímulos externos, como toque ou som. Dessa forma, qualquer barulho durante a noite pode atrapalhar e até mesmo interromper o sono.

A ansiedade é outra condição que pode afetar negativamente o sono das crianças com autismo, já que esta condição costuma estar presente no TEA.

Quais os efeitos dos distúrbios do sono

A falta de uma boa noite de sono tem um impacto na vida e na saúde geral de uma criança. A pesquisa mostra que, em crianças com autismo, há uma conexão entre a falta de sono e as seguintes características:

  • Agressão.
  • Depressão.
  • Hiperatividade.
  • Aumento de problemas comportamentais.
  • Irritabilidade.
  • Dificuldade de aprendizagem e baixo desempenho cognitivo.

Se a criança com autismo não dorme bem, provavelmente seus pais também não terão uma boa noite de sono.

Como saber se seu filho tem distúrbios do sono

Cada criança é única e precisa de uma quantidade de sono diferente da outra. No entanto, em geral, essas são as quantidades de sono que as crianças precisam, por idade:

  • 1 a 3 anos — 12 a 14 horas de sono por dia 
  • 3 a 6 anos — 10 a 12 horas de sono por dia
  • 7 a 12 anos — 10 a 11 horas de sono por dia

Se o seu filho tem dificuldade para dormir ou acorda durante a noite, ele pode ter um distúrbio de sono. Nesse caso, a recomendação é procurar o pediatra para que ele possa analisar o sono da criança.

Manter um diário do sono do seu filho durante uma semana ajuda a controlar quanto e quando ele está dormindo. Inclua mudanças nos padrões de respiração, roncos, movimentos incomuns ou dificuldade para respirar e observe o comportamento do seu filho no dia seguinte. Compartilhe este diário com o pediatra.

Como ajudar seu filho a dormir melhor

Os medicamentos para dormir só devem ser usados ​​por crianças como último recurso. Há uma série de mudanças no estilo de vida que podem melhorar o tempo e a qualidade do sono das crianças com Transtorno do Espectro Autista, como:

  • Evitar estimulantes como cafeína e açúcar antes de dormir.
  • Estabelecer uma rotina noturna: banho, leitura de história e ir para cama no mesmo horário todas as noites.
  • Desligar a televisão, videogames e outras atividades estimulantes pelo menos uma hora antes de dormir.
  • Evitar distrações sensoriais durante a noite. 

Pergunte ao pediatra sobre a possibilidade de dar melatonina ao seu filho antes de dormir. Este suplemento é usado para ajudar as pessoas a dormir e pode ajudar a normalizar os ciclos de sono-vigília em crianças com autismo com distúrbios de sono.

Se gostou deste artigo, compartilhe em suas redes e ajude outras famílias!

Referências:

NUNES, Magda Lahorgue. Distúrbios do sono. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2002, vol.78, suppl.1 [cited  2021-02-08], pp.S63-S72.

GADIA, Carlos A.; TUCHMAN, Roberto  and  ROTTA, Newra T.. Autismo e doenças invasivas de desenvolvimento. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2004, vol.80, n.2, suppl. [cited  2021-02-08], pp.83-94.

Você também pode se interessar...

1 resposta em “Transtorno do Espectro Autista: Como tratar distúrbios do sono”

Tenho um filho com TEA e realmente as noites de sono são bem difíceis, mesmo com o uso da melatonina. gostei bastante das dicas e vou colocar em pratica pra melhorar as noite de sono doo meu filho e as nossas também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *