Voltar

Transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDA + TDAH)

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) afeta crianças e adultos. Os principais sintomas são: desatenção (dificuldade de manter o foco), hiperatividade (movimentação excessiva inadequada ao ambiente) e impulsividade (atos precipitados e impulsivos).

Estima-se que 8,4% das crianças e 2,5% dos adultos têm TDAH, sendo que o transtorno costuma ser identificado quando as crianças já frequentam a escola e apresentam inquietação em sala de aula, que leva a dificuldades na aprendizagem.

No entanto, em muitos casos o TDAH só é diagnosticado na vida adulta. Principalmente quando se trata do tipo desatento (TDA), sem a presença de hiperatividade, o que dificulta a percepção dos sintomas e atrasa o diagnóstico. 

Saiba mais sobre o TDAH, neste artigo.

Sintomas e diagnóstico do TDAH

Muitos sintomas de TDAH, como hiperatividade, dificuldade em permanecer parado por muito tempo e falta de atenção, são comuns nas crianças pequenas. A diferença é que no TDAH, a hiperatividade e a desatenção são maiores que o esperado para a idade e causam sofrimento e / ou dificuldades em casa, na escola ou com amigos.

Existem três tipos de TDAH: 

  1. tipo desatento (TDA)
  2. tipo hiperativo / impulsivo
  3. tipo combinado

O diagnóstico é baseado nos principais sintomas da criança ou adulto, ocorridos nos últimos seis meses. 

Conheça os tipos desatento (TDA) e hiperativo/impulsivo de TDAH.

Tipo desatento (TDA)

Principais sintomas de TDA:

  • não presta atenção aos detalhes, comete erros por descuido na escola ou nas tarefas domésticas;
  • dificuldade para se concentrar em tarefas, atividades, conversas e leituras;
  • parece não ouvir quando você fala (ou seja, parece estar em outro lugar);
  • dificuldade para seguir as instruções e concluir os trabalhos escolares ou tarefas domésticas (pode iniciar, mas rapidamente perde o foco);
  • dificuldade para organizar tarefas (por exemplo, não administra bem o tempo; desorganizado; perde prazos);
  • evita ou não gosta de tarefas que exigem esforço mental contínuo, como preparar relatórios e preencher formulários;
  • perde objetos necessários para as tarefas diárias, como papéis, livros, chaves, etc.;
  • distrai-se facilmente;
  • esquece as tarefas diárias, como as domésticas ou de dar recados;
  • adolescentes e adultos podem esquecer de retornar ligações, pagar contas e dos compromissos.

Tipo hiperativo / impulsivo

Principais sintomas:

  • inquietação, bate as mãos ou os pés, se contorce na cadeira;
  • incapacidade de permanecer sentado (na sala de aula, local de trabalho);
  • corre ou sobe onde não é apropriado;
  • incapacidade de jogar ou fazer atividades de lazer silenciosamente;
  • sempre “em movimento”, como se fosse movido por um motor;
  • fala muito;
  • desfoca a resposta antes da pergunta ser concluída (por exemplo, termina as frases das pessoas, mal pode esperar para falar nas conversas);
  • tem dificuldade em esperar sua vez, como em uma fila;
  • interrompe ou se intromete em conversas, jogos e atividades, usa as coisas de outras pessoas sem permissão. Os adolescentes e adultos podem assumir o controle do que os outros estão fazendo.

O diagnóstico de TDAH e qual o tipo predominante envolve a coleta de informações com os pais, professores, observações da criança e uma avaliação multidisciplinar. Na idade adulta, o diagnóstico também é realizado por uma avaliação clínica.

É preciso descartar outras condições médicas ou emocionais que podem estar causando os sintomas. 

Causas do TDAH

Os cientistas e pesquisadores ainda não identificaram as causas específicas do TDAH. No entanto, há evidências de contribuições genéticas. Por exemplo, três em cada quatro crianças com TDAH têm um parente com o transtorno. 

Outros fatores que também podem contribuir para o desenvolvimento do TDAH são: parto prematuro, lesão cerebral, uso de álcool, fumo ou estresse durante a gravidez.

TDAH em crianças

Os professores são importantes aliados na identificação dos sintomas de TDAH e podem fornecer aos pais e profissionais informações para ajudar a avaliar o comportamento e as dificuldades de aprendizagem. Além disso, caso seja confirmado o diagnóstico podem ajudar o aluno no aprendizado de habilidades importantes.

No entanto, é importante ressaltar que os professores não podem diagnosticar o TDAH, tomar decisões sobre o tratamento ou indicar o uso de medicamentos. Somente os pais e responsáveis ​​podem tomar essas decisões com o profissional que atende a criança.

As crianças com TDAH podem precisar aprender habilidades de aprendizagem, já que têm dificuldades de foco, atenção e concentração. Podem ser necessárias mudanças na configuração da sala de aula e métodos alternativos de ensino.

TDAH em adultos

Muitos adultos com TDAH não percebem que têm o transtorno durante muito tempo. O diagnóstico geralmente inclui uma revisão dos sintomas anteriores e atuais, além de uma avaliação clínica abrangente. 

Adultos com TDAH podem ser tratados com medicamentos, psicoterapia ou uma combinação dos dois. Estratégias de gerenciamento de comportamento, como formas de minimizar distrações e aumentar a estrutura e organização, envolvendo membros da família, podem ser úteis.

Vale lembrar que o mais importante é olhar para as necessidades de cada criança (ou adulto) para encontrar os melhores tratamentos.

Se restou alguma dúvida sobre o TDAH, deixe nos comentários.

Referências:

DESIDERIO, Rosimeire C. S.  and  MIYAZAKI, Maria Cristina de O. S.. Transtorno de Déficit de Atenção / Hiperatividade (TDAH): orientações para a família. Psicol. Esc. Educ. (Impr.) [online]. 2007, vol.11, n.1 [cited  2021-04-30], pp.165-176.

CAPON, Sandra. Fabíola Stolf Brzozowski. Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade: classificação e classificados.

Você também pode se interessar...

7 respostas em “Transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDA + TDAH)”

É considerado uma doença?O remédio é pra vida toda?O remédio pode prejudicar outras coisas?Minha filha tem diagnóstico de tdah,toma concerta a um ano , não consigo pagar os outros especialista para acompanhar ,o que pode ser feito por mim?Fico muito insegura foi prescrito ritalina pra aos seis anos não dei porque achei que era coisa da minha cabeça a neuropediatra não explicou direito ,agora minha filha tem 16 anos,continuo com medo de estar fazendo a coisa errada ,dando o remédio e nada mais , tratamento incompleto😔.O que vcs me orientam por favor?

Olá Adriana,
O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico.
Orientamos que siga a prescrição da receita feita pelo médico que está acompanhando a criança.
Sem avaliação não podemos dar uma orientação precisa sobre caso.
Acesse nossos canais, temos muitas informações importantes lá que podem ter respostas para suas dúvidas. Vale a pena conferir!!!
YouTube: https://youtube.com/neurosabervideos
Facebook: NeuroSaber
Instagram: @neurosaberoficial
Artigos em nosso Blog: http://www.neurosaber.com.br/artigos
Conheça também nossos Programas, cursos e NeuroPalestras: https://lp.neurosaber.com.br/neurosaber-cursos/😀

Bom dia.
Meu filho foi diagnosticado com TDHA
e TOD. Toma ritalina,exodus e aripiprazol, ele é do coração não sabemos o histórico familiar ,fez 13 anos e parecem que a luta não tem fim. Gostaria saber porque ele acaba com os cadernos usando a maioria das folhas para desenhar estou tratando com psiquiatra , será que estou na especialidade certa,? faz terapia também.
Moramos em campo grande MS.
vcs tem algum atendimento aqui ou outro tipo de orientação?.

Olá Ivar,
Primeiramente obrigada pela confiança!
Sem avaliação não podemos dar uma orientação precisa sobre caso.
Esse comportamento pode ser por muitos motivos diferentes. Temos muitos conteúdos que podem te ajudar a entender melhor isso. Acesse youtube.com/neurosabervideos.
Orientamos que procure um especialista(psiquiatra ou psicólogo) para lhe dar melhores informações e orientação assertiva sobre caso do seu filho.

E eu que passei a vida inteira me sentindo incapaz de: ficar quieta, concentrar e terminar uma pequena atividade… alem de falar com as pessoas que gosto e depois esquecer por meses. Daí uma tia me alertou e vim aqui ler. Agradeço por disponibilizarem o conteúdo. Vou procurar uma ajuda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *