Voltar

Qual o profissional adequado para tratar o Transtorno Opositivo Desafiador?

Sempre falamos a respeito dos diversos transtornos e distúrbios que afetam crianças, adolescentes e adultos. Em cada artigo, salientamos a importância de contar com uma equipe multidisciplinar de profissionais aptos às intervenções necessárias. O tratamento do TOD (Transtorno Opositivo Desafiador) é um desses casos em que o acompanhamento com especialistas é fundamental para a eficácia na vida do paciente.

Que especialistas são esses?

A multidisciplinaridade é imprescindível em praticamente todas as intervenções que lidam com distúrbios de neurodesenvolvimento. Sendo assim, é preciso reiterar a presença de dois profissionais que representam uma marca indispensável no tratamento do TOD: o neurologista e o psiquiatra infantil. Esses especialistas são devidamente preparados e direcionados para perceber os sintomas e tratá-los assim que há a confirmação do transtorno.
Psicólogos, analistas comportamentais e psicopedagogos também podem compor o grupo de especialistas que oferecem intervenções às crianças e aos jovens que convivem com o TOD. As terapias propostas por esses profissionais também são indispensáveis para o tratamento do transtorno, principalmente se houver alguma possibilidade de comorbidades ou transtornos associados (veja mais abaixo).

As soluções trazidas pelos profissionais

É preciso deixar claro que ambos, sob a perspectiva médica, oferecem soluções que visam ao controle dos sintomas manifestados pelos pacientes. O tratamento do TOD deve ser algo bastante minucioso. Isso significa que os especialistas prescrevem medicações que têm a finalidade de reduzir a raiva e a agressividade excessiva, características de quem convive com o TOD.
Além disso, a presença desses profissionais é responsável pela investigação de alguma comorbidade que possa existir. É preciso salientar que o TOD pode vir acompanhado de outros distúrbios como o TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade), o TC (Transtorno de Conduta), o Transtorno Bipolar e o TEA (Transtorno do Espectro Autista). Vale ressaltar que a presença de tais quadros podem piorar a situação comportamental da criança e do adolescente, além de interferir diretamente no percurso acadêmico.

A importância do acompanhamento médico

A presença do suporte médico propicia a providência de atendimentos psicológico e psicopedagógico no ambiente escolar. Caso seja necessário, o paciente pode ter acesso a uma atenção mais individualizada na sala de aula; além de recomendar a presença de um acompanhante terapêutico para mediar estratégias entre os professores e este aluno.

O médico também deverá chamar a atenção de todos os envolvidos no sentido de direcionar medidas psicoeducativas, as quais têm o intuito de sistematizar ações de como lidar e dialogar com esta criança, além de orientar como prevenir e manejar possíveis problemas de relacionamentos ou bullying.

Medicação ou terapia: qual é o melhor?

Os dois, sobretudo quando são associados adequadamente. É necessário que somente os especialistas prescrevam. Importante lembrar que todo esse trâmite (medicação e terapias) é excelente para o convívio da criança ou adolescente na vida escolar e externa a esse ambiente.
Nada mais carregado de desafios que a vida social; afinal, quando se têm personalidades distintas dentro de um mesmo espaço, a flexibilidade das pessoas tende a ser a peça-chave para uma ótima convivência.

Links consultados:

https://neurosaber.com.br/transtorno-opositivo-desafiador-tem-tratamento/
https://neurosaber.com.br/tod-precisa-de-tratamento-medico/
 
 
Dr Clay Brites

Você também pode se interessar...

19 respostas em “Qual o profissional adequado para tratar o Transtorno Opositivo Desafiador?”

Tenho 1 filho de 13 anos ,deste os 5 anos tenho problemas com com ,não gosta de regras e também começou pegar coisa que não eram dele ,levei em psicologo e nada adiandou as notas na escolas sempre foram boas ,mais ai agora não nos respeita ,gosta de intrigas e muita mentiras ,parece que não tem sentimentos .e não tem medo de nada ,fala muitos palavrvroês e tem duvida da sua sexualidade .por ga or se puderem me orientar agradeço

Olá…
Tudo bem?
Tod é considerado uma doença? Tem cura? É possível um adulto desenvolver Tod?
Como cuidar?
Obrigada

Olá Cidinha ,Transtorno Opositivo-Desafiador (TOD) não é uma doença mas um transtorno os sintomas do TOD podem aparecer em qualquer momento da vida, mas é mais comum entre os 6 e 12 anos e não tem cura mais um melhora significativa quando feito o tratamento corretamente .

Olá Marcia , essa orientação depende muito do caso por isso é recomendado pergunta ao médico que acompanha .

Prezados, gostaria de algumas indicações de Psicopedagogos especialistas em TOD. Vocês poderiam me ajudar? Grato.

Olá Emerson,
Primeiramente obrigada pela confiança!
No momento não tem um profissional para te indicar.
Atenciosamente,
Equipe NeuroSaber

Tenho 1 filho de 13 anos ,deste os 5 anos tenho problemas com com ,não gosta de regras e também começou pegar coisa que não eram dele ,levei em psicologo e nada adiandou as notas na escolas sempre foram boas ,mais ai agora não nos respeita ,gosta de intrigas e muita mentiras ,parece que não tem sentimentos .e não tem medo de nada ,fala muitos palavrvroês e tem duvida da sua sexualidade .por ga or se puderem me orientar agradeço

Olá Eloiza
Acesse nossos canais, temos muitas informações importantes lá que podem ter respostas para suas dúvidas. Vale a pena conferir!!!
YouTube: https://youtube.com/neurosabervideos
Facebook: NeuroSaber
Instagram: @neurosaberoficial
TELEGRAM NEUROSABER https://t.me/joinchat/Rie71UDhpRQwZTBh
Artigos em nosso Blog: http://www.neurosaber.com.br/artigos
Conheça também nossos Programas, cursos e NeuroPalestras: https://lp.neurosaber.com.br/neurosaber-cursos/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *