Voltar

Como estimular a comunicação em crianças com autismo não-verbal

Quando a criança autista não consegue se comunicar efetivamente, ela pode recorrer a outros comportamentos inadequados para chamar a atenção das pessoas ao seu redor. Além de fornecer uma ponte de diálogo, estimular a comunicação em crianças com autismo não-verbal também ajuda a promover sua independência e autoconfiança.

Neste artigo, falaremos um pouco sobre como realizar este processo e encontrar um meio por onde a criança com autismo não-verbal consiga comunicar seus pensamentos e desejos, interagindo com o mundo ao seu redor. Continue lendo para saber mais!

A comunicação em crianças autistas

As habilidades de comunicação são importantes para todas as crianças. Essas habilidades as ajudam a expressar suas necessidades e desejos.

Algumas crianças que fazem parte do Transtorno do Espectro Autista (TEA) têm habilidades de comunicação muito boas, enquanto outras acham mais difícil se relacionar e se comunicar com outras pessoas. 

Além disso, algumas crianças autistas têm dificuldade em desenvolver a linguagem, acham difícil entender ou usar a linguagem falada, ou não possuem nenhuma linguagem.

Crianças com autismo não-verbal geralmente precisam de apoio para aprender e praticar habilidades de comunicação com outras pessoas.

As dificuldades de comunicação das crianças com autismo

As crianças autistas às vezes se comunicam de maneira diferente das crianças com desenvolvimento típico. Elas podem usar a linguagem de maneira diferente, fazendo o uso da linguagem não verbal, por exemplo.

Características específicas

Crianças autistas podem:

  • Imitar ou repetir palavras ou frases de outras pessoas, ou palavras que ouviram na TV, YouTube ou em vídeos. Elas repetem essas palavras sem sentido ou em um tom de voz incomum. Isso é chamado de ecolalia.
  • Usar palavras inventadas ou repetirem a mesma palavra repetidamente fora de contexto.
  • Confundir pronomes, referindo-se a si mesmas como ‘você’ e a pessoa com quem estão falando como ‘eu’.

Quando crianças autistas usam a linguagem dessa forma, elas podem estar tentando se comunicar. Mas pode ser difícil para outras pessoas entenderem o que elas estão tentando dizer.

Por exemplo, crianças com ecolalia podem aprender a falar repetindo frases que associam a situações ou estados emocionais, aprendendo o significado dessas frases descobrindo como funcionam. 

Uma criança pode dizer ‘Você quer um pirulito?’ quando, na verdade, ela quer um. Isso ocorre porque quando eles ouviram essa pergunta antes, ela ganhou um pirulito.

O que devemos saber antes de estimular a comunicação em crianças autistas

O indicado é começar a trabalhar as habilidades de comunicação da criança com TEA gradualmente, ensinando habilidades que estão a apenas um passo de onde ela está agora. Ou seja, comece por algo simples e vá aumentando conforme o progresso que ela apresentar.

Você pode começar observando com atenção e percebendo as tentativas de comunicação dela. 

Isso o ajudará a descobrir que nível de comunicação ela está usando agora e qual passo é melhor ensinar a seguir.

Por exemplo, se a criança chora na cozinha como uma forma de pedir comida, pode ser muito difícil para ele aprender a dizer ‘com fome’ ou ‘comida’. 

Em vez disso, o próximo passo pode ser ensiná-la a apontar ou alcançar a comida. 

Você pode fazer isso sendo modelo – ou seja, mostre a ela o que fazer enquanto você mesma aponta para a comida. 

Aqui, você também pode ajudá-la fisicamente, guiando sua mão em direção à comida.

Dicas para estimulação da comunicação da criança com TEA

Antes de compartilharmos essas dicas importantes, é importante lembrar que cada pessoa com autismo é única. 

Mesmo com muito esforço, uma atividade que funciona bem com uma criança pode não funcionar com outra. E embora todas as pessoas com autismo possam aprender a se comunicar, nem sempre é por meio da linguagem falada. 

Indivíduos não-verbais com autismo têm muito a contribuir para a sociedade e podem viver comunicando-se com a ajuda de suportes visuais e tecnologias assistivas.

Dicas para promover o desenvolvimento da linguagem em crianças com autismo não-verbal

Incentive a brincadeira e a interação social. 

Brincar é fundamental para o aprendizado da criança, e isso também inclui o aprendizado da linguagem. Brincadeiras interativas oferecem oportunidades agradáveis ​​para você e a criança se comunicarem. 

Experimente uma variedade de jogos para descobrir o que ela gosta. Experimente também promover a interação social por meio de atividades lúdicas.

Os exemplos incluem cantar e recitar canções de ninar. 

Durante suas interações, posicione-se na frente da criança e próximo ao nível dos olhos para que ela consiga ver e ouvir você.

Reforce comportamentos positivos por meio da imitação

Imitar os sons e brincadeiras que a criança faz irá encorajar mais vocalização e interação. 

Certifique-se de imitar a forma como ela está brincando – desde que seja um comportamento positivo.

 Por exemplo, quando ela rolar um carrinho, você rola um carrinho. Se ele bater com o carrinho, você também bate no seu. Mas não imite jogar ou quebrar o brinquedo!

Concentre-se na comunicação não verbal. 

Contato visual e gestos também podem contribuir para a construção de uma base para a linguagem.

Incentive a criança modelando e respondendo a esses comportamentos. Exagere seus gestos. Utilize sua voz e corpo para se comunicar. 

Use gestos que sejam fáceis de imitar. Os exemplos incluem bater palmas, abrir as mãos, estender os braços, etc. 

Responda aos gestos da criança: Quando ela olhar ou apontar para um brinquedo, entregue-o a ela e aproveite para brincar com ele. Da mesma forma, aponte para um brinquedo que deseja antes de pegá-lo.

Concluindo

O processo de aprendizagem da linguagem é um dos mais importantes em todo seu desenvolvimento, pois é por meio da linguagem que aprendemos, nos expressamos e criamos laços para toda a vida!

Crianças com autismo não-verbal podem ter dificuldades com a linguagem verbal, mas isso não significa que ela não possa ser estimulada, ou até mesmo que a criança se utilize de outras ferramentas para se comunicar.

Por isso, com o auxílio e a orientação de profissionais especialistas no assunto, comece agora mesmo a estimular as habilidades de comunicação do seu pequeno!

Por falar em profissionais, que tal assistir o vídeo do Dr. Clay Brites sobre o assunto? Clique aqui no play e deixe suas dúvidas nos comentários!

Referências: 

Autism Speaks. n.d. Teaching nonverbal autistic children to talk | Autism Speaks. [online]  Disponível em: <https://www.autismspeaks.org/expert-opinion/seven-ways-help-your-child-nonverbal-autism-speak> [Acesso em 30 agosto 2021].

Raising Children Network. n.d. Communication: autistic children. [online] Disponível em: <https://raisingchildren.net.au/autism/communicating-relationships/communicating/communication-asd> [Acesso em 30 agosto 2021].

Você também pode se interessar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *